quinta-feira, 2 de maio de 2013



Fase 1 - Sinais de aviso internos -

       Nesta fase os adictos não conseguem funcionar e agir de uma forma em que estejam mesmo em recuperação. Fica tudo confuso e esta confusão começa a atrapalhar suas relações interpessoais e consigo mesmos, pois não conseguem se entender. Os sintomas mais comuns são:

      1.1 - Dificuldade de pensar com clareza: Os adictos que estão em recuperação muitas vezes não percebem que seus sentimentos não estão tão claros e também não conseguem resolver questões muitas vezes simples para qualquer pessoa.

      Os pensamentos se tornam como se fossem um disco riscado, repetitivos e rígidos. Em outros momentos a mente aberta se fecha ou fica como uma página em branco. Não consegue se concentrar ou pensar com lógica por muito tempo. Isso os deixa inseguros em como uma coisa se relaciona com outra ou as afeta.

      Outra dificuldade é em decidir o que fazer com suas vidas em recuperação. Trabalho, estudos, retomar carreira ou começar outra, são tantas coisas, mas uma os persegue: "O medo de recair".

       Em 1° lugar teve que se adaptar a uma rotina dentro de uma clínica e por semanas sua mente esteve na rua, na culpa, no remorso de que tudo poderia ter sido diferente, mas não foi.

       Em 2° lugar, depois que está completamente adaptado acaba o tratamento e agora tem outra adaptação: a rua, família, amigos, lugares e etc. Os pensamentos fervilham, "será que minha família e as outras se pessoas crêem na minha recuperação? Meus antigos companheiros que me procuram dizem que estou bem, mas querem "comemorar".

       Você pensa em mudar de cidade, outras pessoas, ninguém conhece minha história e posso começar, mas falta o principal: precisa de um dinheiro que não tem ou quem te dê uma oportunidade de trabalho e moradia. Pode voltar para a clínica e trabalhar lá. Então chegamos à conclusão, é dos mais importantes sinas também, toda esta fase é das que você mais tem que prestar atenção.

Espero que comentem, pois seu comentário para mim é muito importante para avaliar meu trabalho e o que estou fazendo para poder melhorar. E também vou colocar um menu na parte superior da página com o item comentários entre vários. Espero que gostem das mudanças e comentem por enquanto na própria postagem.

César Augusto Pereira

quarta-feira, 1 de maio de 2013

AVISOS DE RECAÍDA NA RECUPERAÇÃO








 As fases e sinais de aviso de recaída -

 (sintomas de disfunção externas e internas) 




Em 1973, um dos meus gurus, Terence Gorski não imaginava que seu livro "Permanecer Sóbrio - Um guia de Prevenção à Recaídas" seria usado ainda hoje. Infelizmente do mesmo jeito que foi escrito em uma época em que as drogas da moda eram o LSD, a maconha e o álcool que não era considerado como droga.


 Então várias clínicas dissecaram partes do livro que falam em PPR. Os tempos mudaram, as drogas são mais pesadas e o traficante não é mais o pipoqueiro da esquina. Eu tive acesso a esse trabalho muitos anos atrás e o reescrevi fazendo uma compilação, mantive os títulos mas o conteúdo está diferente. 

Em breve vou juntar tudo, porque falta muita coisa minha também e montar um ebook para acesso. Algumas apostilas vou distribuir por download assim que o blog ficar novo, novo template com opção de download, newsletter e outras coisas.

 Estou postando apenas PPR. Mas depois vou voltar um pouco para falar como prometi na postagem: "Recuperação Parcial" sobre o gráfico dos pontos de estrangulamento que está dentro do PPR também e para isso vou voltar mais ainda para o "Modelo de Recuperação Evolucionário", pois estão todos interligados. 

Mas agora vamos com o PPR porque esta parte dos sinais é muito longo. O processo de recaída leva quem está em recuperação a sentir dor e desconforto sem usar. Gorski fez um estudo usando 118 adictos em recuperação e todos tem quatro coisas em comum:
 1. Completam um programa;
 2. Admitem que estão em recuperação e não podem usar com segurança; 
3. Tiveram alta com a consciência de continuarem sóbrios com AA e atendimento profissional;

 4. Então voltaram a usar mesmo com seu compromisso inicial. Nesses estudos identificou 47 sinais e os dividiu em 11 fases que vamos tratar agora.


Abraços a todos. 
César Augusto Pereira

domingo, 14 de abril de 2013

O Envolvimento da Família na Prevenção



- O Envolvimento da Família Final– 


             Imagine um iceberg, uma parte está fora da água, porém a maior parte dele está embaixo dela e com várias pontas. Agora imagine que cada ponta é um membro da Família.
Quando a que está acima da linha do mar (o adicto) é removida, o iceberg tem que girar em seu eixo para ter equilíbrio e outra ponta surge, é outro membro da Família que tem algum tipo de problema. Ele vai negar que tem algum problema, mas tem, caso ele admita e se trate o iceberg vai girar novamente e outra ponta vai aparecer, é outro membro.
E assim vai acontecendo até o iceberg ficar redondo, sem nenhuma ponta. A família está tratada e agora tem um programa para seguir. Isso vai diminuir e muito o risco de recaída porque todos estão preparados para ajudar da forma correta.
Os co-dependentes se trataram, não precisam mais de um bode expiatório em quem jogar a culpa cada vez que algo dá errado. Todo mundo tem problemas, alguns mais e outros menos. Alguns têm comportamentos compulsivos que interferem na harmonia do lar.
Os familiares podem ser aliados poderosos na prevenção da recaída, quando estão envolvidos no PPR um dos focos é colocado na Co-Dependência e no seu papel na recaída da família (emocional). Eles devem ser ajudados a reconhecer sua parte da doença e ficar envolvidos ativamente no seu tratamento. Assim podem ajudar o adicto e muito a se manter em recuperação com qualidade de vida transformado em um novo ser.

César Augusto Pereira

sexta-feira, 12 de abril de 2013

ATUALIZE SEU PLANO DE PREVENÇÃO PARA DAR CERTO



Seguimento em Atualizar seu Plano de Prevenção -

O PPR deve ser compatível também com o programa da família, se ela estiver fazendo um porque muitas não fazem. Deve se tornar um hábito. Temos que adquirir o hábito de praticar o programa de prevenção. É preciso revisar e atualizar os programas de tempos em tempos regulares e prestar atenção em reconhecer novos problemas (sinais e sintomas que ameaçam a sobriedade).

O PPR deveria se tornar parte e integrar a recuperação, ao menos na metade do tratamento (já e disse isso e repito) com treinamento e reconhecimento dos sinais e sintomas que todos têm. A consequência disso vai ser uma sobriedade confortável e a garantia de que se tem um reconhecimento de recaída, que se podem identificar os próprios sinais e que tem um plano de ação para não permitir que estes se desenvolvam, aqui terminamos com os nove passos do Programa de Prevenção à Recaídas que você vai trabalhar daqui em diante. Aqui terminamos esta parte. Mas tem a próxima que é muito importante. A família.


- O envolvimento da família –
Em grande parte dos casos o adicto é o primeiro membro a perceber que está descontrolado e precisa de ajuda. A não ser nos casos do crack em que as coisas começam a sumir, a família entra em desespero e quer ajuda, mas grande parte das vezes não consegue porque some.

 Mas as maiorias dos familiares recusam o fato de que eles têm um problema e que precisa de tratamento especializado. Acreditam que é só parar de usar, que ele é apenas um sem vergonha. Esses membros da família negam seu papel na família dependente jogando seus problemas pessoais e familiares no adicto.

Ele é o bode expiatório, tudo acontece por causa dele. Desenvolvem expectativas irreais de como tudo vai melhorar com a abstinência, e, quando não são alcançadas agridem o adicto pelo fracasso, embora ele esteja fazendo seu programa de recuperação com sucesso. Mas continuamos na próxima postagem.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

NOVIDADES NO BLOG


- NOTIFICAÇÃO DE COISAS NOVAS -

Amigos, assinantes e seguidores. Apesar de não fazerem comentários sei que gostam do blog, mas algumas coisas vão mudar. Estive um tempo sem postar pensando e avaliando o caminho que as coisas estão tomando em minha vida. Tomei algumas decisões que tenho certeza que vão agradar a todos.
 Uma delas é que vou mudar o título do blog e registrar o domínio com outro nome ligado à área de prevenção. Comecei o blog falando de alguns aspectos básicos da DQ para principalmente os leigos no assunto conhecerem. Então virei para o que queria mesmo: A Prevenção. Então aos poucos fui falando sobre ela e não tem como parar. Prevenção à recaídas, em escolas, empresas, na comunidade e muito mais. Só que não estou publicando meus textos completos.
Vou começar a inserir fotos no blog, mas tomem cuidado com o uso delas, as fotos que estou usando no Facebook e em qualquer outro lugar são fotos que busquei e registrei em meu nome, estão hospedadas em um site de hospedagem de fotos e não quero que copiem essas fotos e usem em outros textos, como normalmente acontece. Vou inserir para dar uma força o link de onde vocês também podem buscar, são mais de 38 mil fotos, é só fazer cadastro e pronto.
Se eu vir alguma postagem com essas fotos eu tomo providencia, vai ter um comentário desagradável no mural de quem o fez, já copiaram artigos meus sem meu nome e publicaram come se fossem deles ao invés de compartilhar, fui bonzinho e só fiz um comentário dizendo que o texto era meu e se não removesse e compartilhasse do jeito certo iriam ser denunciados, os textos foram removidos. Ninguém me perdoa, também não vou perdoar ninguém se não sabem isso é plágio e é crime. Entrem no GF Soluções que lá tem o e-book sobre “Plágio na blogsfera” para baixar de graça.
 Pretendo fazer apostilas e e-books para vender, e vídeo com palestras e temáticas para postar no Youtube, Vimeo e outros canais de vídeo. A intenção agora é montar um site sobre o programa de tratamento, técnicas, amostras de cronogramas diferenciados baseados na minha linha de tratamento que é o Programa de Transformação Consciente. Então terão várias páginas de cada assunto.
 Não consegui parcerias dentro do Facebook infelizmente pedi ajuda para isso e para a ONG várias vezes e todos curtiram, mas comentar ou perguntar como pretendia fazer com minhas limitações ninguém perguntou. Vou fazer e vai dar certo. Tem outras novidades a caminho, mas uma coisa de cada vez. Vou voltar a postar na página e nos grupos como antes, mas não todo dia, como estou com muitos projetos e estou sozinho para executá-los assim como no blog será talvez dia sim dia não, alternando entre os dois. Agora estou com SKIPE: cesar3396 sempre ligado para vídeo chamadas e consultas e tem o Google talk também para chamadas.
E a ajuda que recebi veio de um lugar que eu nunca imaginava. Recebi muitas promessas no Facebook, muitas propostas, muitas ofertas que nunca se concretizaram. Estou trabalhando muito e estou feliz, descobri um jeito de ganhar um dinheiro limpo e fácil pela internet. Quem estiver interessado veja em cima à direita um texto dizendo “Trabalhe em casa e tenha uma renda extra” com uma caixa ao lado escrito “imagem”, clica nela, leia o conteúdo com atenção que o negócio vale à pena.
Não vou mais compartilhar o blog nem a página no perfil da EspátulaMágica, ele é de arte e é arte que vou postar lá. O blog vai começar a ser compartilhado na página que vai para o feed dos amigos e nos grupos, e a página vai para os grupos também e para quem curtiu. Não vai mais ter no perfil. Vou ter novidades em breve.
 O livro vai ter seu espaço logo também e aviso para todos. Vou colocar todos meus links em sobre. E estou no Google + também porque tenho 4 gmail e o Google me deu 4 g + , imagine cuidar de tudo, só estou tendo notificação que fui adicionado. É bom, mas me obriga a montar o perfil em todos e vai dar trabalho. Mas comecei a falar em outra coisa.
Este blog vai ter mudanças na introdução, pois agora ele é sobre Prevenção e em breve terei apostilas e e-books para dar e também para vender, quando estiver pronto aviso também. Palestras em vídeo e vou inserir fotos nas postagens, mas não fotos para baixo e sim fotos da natureza, de liberdade e de vida. Chega de sofrimento concordam?

Abraços a todos

César Augusto Pereira

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Atualizar seu plano regularmente



"Atualizar o plano”

"Atualizar o plano regularmente"  Finalizando o passo 8 para entrar no nono lembre-se de que sua famía também está em recuperação, você tem que reconhecer suas próprias necessidades e assumir um forte compromisso de ajudá-los com seus programas de recuperação. O projeto "Assumindo Um Compromisso Com A Vida" também tem seu modelo de construção de redes de intervenção. Basta se informar por email.

9 - Seguimento: Atualizar seu plano de recuperação regularmente: Adicção não tem cura, é uma doença crônica. Recuperação é um modo de viver, assim como o PPR faz parte da Recuperação também tem que fazer parte desta nova maneira de viver. Esta é a realidade que muitos não aceitam, "orai e vigiai".

Tem que ficar atento, pois os sinais e sintomas dependendo dos problemas que enfrentar no dia a dia vão se manifestar por até 10 anos dependendo da "Vida Equilibrada" (já postado) que levar. Podem ser 5, 7 ou 8 anos, mas como a recuperação é para a vida inteira deve estar atento.

Se parar de usar e tentar viver como antes vai recair. Por isso chamo recuperação o ato de recuperar o corpo, a clareza da mente e auto-controle emocional. O meu programa que faz parte do  "Assumindo Um Compromisso Com A Vida" chamado de: "Programa de Transformação Consciente" é  para transformação, pois se o adicto recuperar sua antiga forma de ser, o que era não vai funcionar como não funcionou antes.

 Algo estava errado e ninguém sabia o que era. Na Transformação utilizando várias ferramentas e sugestões você se torna um novo ser com possibilidades de escolhas certas, pensar, analisar, perguntar, tudo antes de agir e assim não vai ser convidado a re--agir. O PPR deve ser compatível também com tratamento da família.

César Augusto Pereira

terça-feira, 2 de abril de 2013

Passo oito do PPR - Não pode se recuperar sozinho




Você não pode se recuperar sozinho

"Você não pode se recuperar sozinho" Continuando no passo 8 dos 9 do PPR, o envolvimento com pessoas que sejam importantes para você. Podem ser familiares, companheiros de trabalho, vizinhos, um ou mais padrinhos, enfim, qualquer pessoa que se importa realmente com você. Mas não vai adiantar alguém
Essas pessoas vão te sinalizar e ajudar, te ouvir, pois precisa ser ouvido. Faça uma lista dessas pessoas com quem tem contato sempre, escolha as que você acha que sejam importantes para te ajudar a evitar a recaída. Esta vai ser sua rede de intervenção. Lembre como cada um agiu antes, te ajudaram? Disseram o que precisava ouvir ou só te deram bronca, isso não ajuda, só causa revolta e atrapalha.
 Por isso digo para escolher a dedo. Agora faça uma reunião com elas em um lugar neutro e diga o que gostaria que fizessem quando forem reconhecidos os sinais e sintomas de Recaída. Mostre a elas sua lista de sinais pessoais que separou, lembre-se de que tem que estudar todos para pelo menos separar 5 ou talvez mais, depende de sua identificação. Forme uma rede de apoio sobre o que deverão fazer se voltar ao uso como antes.
 A principal atitude esperada é que te mostrem que algo está errado e perguntem o que vai fazer e como está se sentindo, não podem te criticar ou porão tudo abaixo. Ensaie e represente uma situação na qual está mostrando sinais de aviso e procure negar esses sinais quando você fica numa pior.
O que essas pessoas estão dispostas a fazer quando a negação for ativada, porque é a primeira coisa que vai acontecer e você vai dizer que não tem nada errado. Permita que sua rede participe de sua recuperação. Os encoraje a apoiar o programa e rejeitar apoio aos seus sinais de aviso.
 César Augusto Pereira

quarta-feira, 13 de março de 2013

Seu Programa de Recuperação antigo funciona?




Rever seu Programa de Recuperação




7. Rever o Programa:

Você conhece a doença da sua adicção e aprendeu a lidar com os sintomas? Presta atenção às suas necessidades diárias de saúde e alimentação? Está ao menos tentando tiver em recuperação apesar dos pesares diários que são provocantes? Quantas perguntas, mas tem que ser respondidas com honestidade. Se você entrou em processo de recaída é preciso criar um programa de recuperação baseado no que funciona e no que não funcionou no passado. Para cada sintoma ou sinal de aviso que se identifique tem que ter certeza de que há alguma coisa no programa para ajudar a lidar com isso.

 Eu sugiro fichas com todas as suas dificuldades principais para que não esqueça, com o tempo vão fazer parte de sua vida e estar gravados em sua mente para reagir da forma apropriada no momento certo. Até lá, vai consultar as "Fichas de dificuldades e soluções". Um bom nome não acha? Então mãos à obra: aproveite os sinais internos e externos já publicados para exercitar 
Enquanto preparo os outros 47. 

8. Envolvimento Com Pessoas Significativas: ensinar aos outros como trabalhar com você para evitar a recaída mostrada como funciona neste plano. Se alguém não demonstrar interesse ou agir de forma contrária evite, pois te podem por em risco. Você não pode se recuperar sozinho. A recuperação total envolve a ajuda e apoio de outras pessoas para ter sucesso.

O processo de recaída é muitas vezes inconsciente e mesmo com um inventário diário muito  pode passar. O que não aconteceria com quem está vendo de fora que vê as jogadas melhor do que nós mesmos. Essas pessoas têm que ser escolhidas a dedo. Pessoas que te digam o que precisa ouvir e não o que quer. Podem ser familiares que não estão tão envolvidos a ponto de julgar qualquer atitude sua como negativa.

Continua


segunda-feira, 11 de março de 2013

Treinamento do passo 10 no PPR


Treinamento do Inventário PPR

Qualquer sinal de aviso é sério porque pode ser o 1° passo para voltar a usar ou ter uma crise emocional. Sem um inventário será incapaz de interromper a síndrome de recaída quando do se torna mais aparente.

 Agora você tem uma lista de sinais de aviso pessoais, como vai determinar se algum deles se manifesta em seu dia? Faça assim, pela manhã reserve alguns minutos para ler a mensagem do dia e faça um resumo de seus planos para o dia. Faça a você mesmo a pergunta: "Estou preparado para este dia? O que posso fazer?

Ao se deitar reveja seus planos e outras tarefas fora de hora que apareceram, veja com o que lidou bem e o que pode melhorar. Aí vem a avaliação dos planos, que forças você usou para os desafios que surgiram? Como pode aumentar e reforçar suas forças? Qual fraqueza se apresentou frente a alguma situação e como pode corrigir os defeitos e melhorar? Veja sua lista de sinais de aviso. Estiveram presentes no seu dia? Se estiveram, o que está fazendo para corrigir? Surgiram alguns outros sinais que podem ser acrescentados?

7. Rever o Programa de Recuperação
aprender o que puder a respeito da doença para ter certeza de que seu programa de recuperação é capaz de te ajudar a lidar com seus sinais de aviso. Aqui abro um parêntese, o Programa de Transformação Consciente está preparado para dar todo apoio, pois é um programa preparado para uma nova recuperação. Recuperação é Recaída são os lados opostos da mesma moeda, se não está vivendo em recuperação (disse recuperação é não abstinência) está em perigo de recair. Um bom programa é preciso para evitar a recaída. Seu programa anterior funcionou bem para você? E o atual? Como pode ser melhorado é preciso aprender a se colocar em desafios na vida diária.
Continua

terça-feira, 5 de março de 2013

Reforma Interna

Pedido de desculpas


Amigos, peço a compreensão de vocês pela falta de publicações.  Mas estamos fazendo uma pequena reforma e inserindo uma série de coisas novas como um um novo templete. Mas já está sendo tudo resolvido e até semana que vem normalizado. Tem muita coisa nova acontecendo, me deem uma semana apenas e não vão se arrepender,. Abraços.


César Augusto

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

O Quarto passo do PPR


Continuando com os 9 passos

cont.

No meu Cronograma que montei para seis meses (podem ser para menos ou mais) de tratamento as reuniões são s progressivas, ou seja, para cada semana os conselheiros já sabem o que vem na próxima semana para se prepararem. Nele, o PPR começa na metade do tratamento para que ele possa ter espelhos com quem discutir. Se for na rua pode ser um amigo fiel ou um padrinho disposto.

Não se esqueça de que a adicção é a doença da "negação" e sem o envolvimento de outras pessoas ela (A Negação) pode te impedir de reconhecer o que realmente acontece em sua vida recuperação. Você pode estar em risco e não perceber.

4. Identificação dos sinais de aviso pessoais de recaída que me dizem que tenho problemas com minha Recuperação e Sobriedade:

Cada ser humano tem um conjunto pessoal e único de  sinais de aviso (já falei que duas pessoas não se recuperam da mesma forma) que indicam que o processo de recaída está começando, é neste momento que existe o perigo de recaídas ou desenvolvimento de sintomas mais graves.

 Problemas que podem ser problemas de saúde, emocionais. memória ou julgamento e comportamento como vimos no começo desta série.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Trabalhando os passos do PPR


Os passos para trabalhar o PPR


cont. do item 2.

Se você não aprende com o passado ele volta para te assombrar. (insanidade - 2° passo)

3. Educação sobre a Recaída: aprender o que for possível sobre recaídas  e o que fazer para preveni-la.
Aqui caímos em um comentário infeliz de um leitor que nem respondi, deixei que outros leitores o fizessem.

Quanto mais informações tiverem sobre recuperação e recaída mais ferramentas vamos ter para manter Sobriedade. Recuperação como já disse antes não é apenas ir a uma sala ou clínica e parar de usar. As reuniões disponíveis, literaturas e temáticas em clínicas e as de temática e estudos de passos e estudos nos grupos (não sou contra as de partilha pois os espelhos são necessários, mas nelas a maioria só muda o personagem, as histórias são as mesmas) mais ainda os livros e folhetos de que os grupos dispõe e na maioria não são lidos ou estudados e que dispõem de ferramentas e exercícios ótimos que já usei com bons resultados. Mas grande parte não quer gastar.

Entender os sintomas da SAD (síndrome de abstinência demorada), o que pode acionar seus mecanismos, como preveni-los ou lidar com ela. Ser capaz de se familiarizar com os sinais de aviso e ser capaz de dar exemplo deles colocando-os em suas próprias palavras para ter certeza de que os em entendeu.

Ler apenas, como já falei antes não é o bastante, os sinais devem ser revisados e discutidos com outras pessoas. Por isso este não é um programa para ser feito sozinho e sim com mais pessoas ou reuniões específicas quando possível. Caso não seja encontrar alguém que possa te ajudar a estudá-los e aplicar em você. Em meu cronograma que montei para 6 meses (que podem ser mudados de acordo com o tempo de tratamento da clínica) 
continua amanhã.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Os passos do PPR para trabalhar a recaída


 Os passos do PPR para trabalhar a recaída





        A recaída não é um bicho de sete cabeças. Simplesmente algumas coisas passaram em branco durante o tratamento, faltaram informações sobre a doença que não poderiam faltar. Como já disse antes, o adicto deve ter todas as informações necessárias sobre a doença e como permanecer limpo na rua.
Como disse, estou à disposição de quem quiser ajuda, seja para se tratar, montar uma clínica, implantar um programa de acordo com a realidade dele e etc.

        Já o estou fazendo com uma clínica que está começando no Norte, estou com pacientes com resultados muito satisfatório s. No tratamento da recaída mando apostila por partes pois do contrário ele vai querer responder tudo de uma vez ela mexe com a gente. São 13 exercícios que vão ajudar a identificar e se trabalhar. Por exemplo no exercício 1 tem um texto explicativo e os exercícios específicos, você responde tudo e me manda as respostas por e mail em anexo para que eu posso baixar e colocar em sua ficha. Faço o retorno do que escreveu e mando por e mail ou marcamos uma data e hora que vou a uma lan house que sempre vou pois não tem movimento e usamos o Google para conversamos em vídeo.

       Vou mostrar aqui os 47 sinais e sintomas das 11 fases, só preciso reescrever como estou fazendo. Este trabalho por exemplo da AVALIAÇÃO tinha apenas 5 linhas. Só estou desenvolvendo melhor cada item. Enquanto isso vou publicando o comentário que preparei do meu livro que pretendo lançar este ano ainda se tiver ajuda. Nele são abordados a história, os florais que são os personagens e o mundo dos Doze Passos. Foi elaborado para uma analogia entre os florais correspondentes ao 12 passos. Bom, os sinais de aviso específicos e sintomas que ocorrem durante tentativas de conseguir abstinência vai mostrar o que foi feito de errado e o que pode ser feito diferente para tornar suas chances melhores.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

9 Passos para trabalhar a recaída e florais


Os nove passos para trabalhar a recaída

Tem outro Floral que é muito bom para adictos que é o Agrimony - o floral do arquétipo do ator, do palhaço, as máscaras que usam ou personagens que representam. O fingimento de que está tudo bem, mas não está.
Acontece que quando damos Agrimony para muitos adictos ele não funciona e muitos terapeutas não entendem o porquê. É que ele negou tanto na vida que se tornou sombra. Este é um bom momento de dar o Aspen que vai liberar tudo o que foi negado. Então o Agrimony vai funcionar, ele é o ansiolítico dos Florais de Bach, mas sem química. Bom para ansiedade de que o tratamento ande mais rápido que se deve.
E faltou o Comportamento que voltou ao que era antes, este é um momento de crise para si e para a família. Devem estar com certeza todos assustados com o retorno do velho drama que começa a se manifestar. Eles se sentem zangados, desconectados e culpados.

2. AVALIAÇÃO: descobrir através da história pessoal dele o que desenvolveu a doença, ou seja, o que acontece de sua mente, coração e vida.

Aqui você vai precisar da ajuda de pessoas em quem confie e que podem te ajudar a recomeçar. Fazer os passos (não estou falando dos doze passos de AA) necessários, estes 9, os Doze passos para utilizar no PPR vem depois. Isso vai estabelecer a sobriedade.
Se sentir-se incapaz de manter um controle firme deve procurar um consultor profissional que saiba o que está fazendo. Descobrir o que ocasionou a recaída revisando seu histórico de uso. Tenho uma apostila eficiente para isso à disposição para quem quiser voltar de uma recaída revisando seu histórico de uso e tem outra que complementa essa que é a carta de autobiografia. Mas serão enviados como prêmio de incentivo para quem comentar as postagens. Não vou cobrar nada por elas, Mas quero comentários.
Continua

Abraços César Augusto

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Os Nove Passos para trabalhar o PPR -


- Os Nove Passos para trabalhar o PPR -

Como disse no post onde coloquei da forma que é conhecido, iria desenvolver do meu jeito os passos.

OS NOVE PASSOS PARA TRABALHAR A RECAÍDA

1° - ESTABILIZAÇÃO: conseguir autocontrole através da abstinência, desintoxicação e conscientização;
Significa que antes de fazer o plano de Prevenção o adicto deve reconquistar o controle dos pensamentos, memória, julgamento e comportamento caso o tenha perdido e. na realidade, o perdeu. Os pensamentos estão desconexos, eles viajam em todos os sentidos, o que poderia ter feito, dito ou não feito ou dito. As emoções.
A Dependência Química é chamada por muitos como a "doença dos sentimentos em confusão", pois estão desconectados do ser. Muitos DQ são ou se tornam bipolares ou sofrem de esquizofrenia. Os sentimentos e emoções oscilam entre a euforia e a depressão. Todos somos bipolares, mas em níveis mai s confortáveis e nos momentos certos. Já o adicto não, é de repente. Ele vai para o alto com exagero e euforia ou para baixo com depressão. Não consegue controlar suas reações.
A Memória se transforma, temos um tipo de memória que chamamos de "memória eufórica" onde nos lembramos de algo há muito tempo atrás, mas de uma forma exagero A. Ao nos darmos conta já não estamos mais presentes.
O Julgamento pode ser até pior do que o julgamento dos outros conosco. Pois quando recaídos não percebemos as reais intenções dos outros, uma palavra mal colocada, um olhar, um gesto, tudo isso para alguém que está em recaída pode ser um sinal de que está sendo julgado por algo que não aconteceu e a isso chamamos de paranoia, ele realmente acredita que é dele que estão falando e os julga por isso. Tem um Floral excelente para isso que é o Aspen. Ele trabalha nossa sombra, tudo o que negamos, sejam sentimentos ou atitudes. Eles se tornam uma sombra.
Abraços César Augusto
Continua na próxima

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Para trabalhar a Recaída


Plano de prevenção à recaídas
(adaptado de Terence Gorski)

            As recaídas não são necessárias, muitos recaem porque não entendem o processo ou não tiveram acesso a ele durante o tratamento, o que o levará a não saber como preveni-los quando começarem os sinais. Toda a instituição que desenvolve um trabalho sério de recuperação deve executar uma parte de seu programa à família, tão doente ou mais que o adicto e um Programa de Prevenção à Recaídas (P.P.R.) para os internos que estão a um mês de terminar o tratamento, pois poderão se exercitar no conhecimento dos sinais e ter com quem discuti-los, dando continuidade por mais quatro meses pós-tratamento.
      
  Caso o dependente resida longe do centro de tratamento montar um plano individualizado para ser aplicado em sua cidade por outro profissional, mas mantendo visitas mensais ao centro onde se tratou. Com um plano saberá se está fazendo o necessário para evitar a recaída lhe dando um senso de segurança, poderá identificar os sinais de aviso iniciais e interromper o processo. Repetindo: Um plano de prevenção à recaídas deve ser uma parte essencial de um programa de tratamento.

OS NOVE PASSOS DO PLANO DE PREVENÇÃO DE RECAÍDA

        Este trabalho de 9 passos já é utilizado em várias clínicas, mas vamos depois na semana que vem elaborar melhor procurando fazer uma postagem de cada um.

1.    Estabilização - conseguir autocontrole através da abstinência, desintoxicação e conscientização;
2.    Auto avaliação - descobrir através da história pessoal o que desenvolveu a doença, ou seja: o que acontece em sua mente, coração e vida;
3.    Educação sobre recaída - aprender o que for possível sobre a recaída e o que fazer para preveni-la;
4.    Identificação dos sinais de aviso de recaída pessoais que me dizem que tenho problemas com minha recuperação e sobriedade;
5.    Administração dos sinais de aviso - aprender como interromper os sinais de aviso antes de perder o controle;
6.    Treinamento de inventário - aprender como ficar consciente dos sinais de aviso quando eles se desenvolvem utilizando o décimo passo;
7.    Rever o programa de recuperação - aprender sobre a doença para ter certeza de que seu programa de recuperação é capaz de te ajudar a lidar com seus sinais de aviso;
8.    Envolvimento com pessoas significativas - ensinar aos outros (família, amigos, companheiros) como trabalhar com você para evitar a recaída mostrando como funciona o plano (honestidade é a base da recuperação);
9.    Seguimento - atualizar seu plano de prevenção regularmente.

sábado, 16 de fevereiro de 2013

DEFINIR A RECAÍDA


DEFINIR A RECAÍDA

Uma recaída no uso ativo de químicos pode ser desmoralizante para uma pessoa em recuperação. Como é que você pode reconstruir o que se desmoronou e ganhar novo ímpeto para entrar em recuperação outra vez? Vamos falar mais um pouco de recaídas e ajuda-lo a compreender o que é que correu mal e como voltar ao bom caminho. Ajudá-lo-á a estabelecer o seu plano pessoal de prevenção de recaída de forma a não continuar a fazer as mesmas coisas autodestrutivas repetidamente.
            Nem todas as pessoas que estão se recuperando de uma adicção recaem, mas a possibilidade que isso aconteça está sempre latente. Embora recair faça parte da doença da adicção, há muita coisa que pode ser feita para evitar a recaída. E, se você tiver tido uma recaída - mesmo várias - nunca mais precisa passar por outra. Este estudo pode ajudá-lo a passar de um estado em que teve uma recaída para um estado no qual se encontra a recuperar.

- A primeira definição de recaída é geral e pode aplicar-se a qualquer doença: Uma recaída é voltar a cair num estado anterior, ou voltar a uma fase ativa de uma doença depois de uma recuperação parcial.
·      Dê atenção à frase depois de uma recuperação parcial.
·      A menos que alguém tenha estado em recuperação de uma doença, é impossível recair.

            - A segunda definição é mais específica das doenças adictivas: Uma recaída de uma doença adictiva é um regresso a atitudes, pensamentos, sentimentos, emoções e comportamentos que fazem recuar para a adicção ativa.
·      Para um alcoólico ou outro adicto a drogas, um regresso a estes padrões significa um retorno eventual à bebida ou ao uso de outras drogas.
·      Para uma pessoa que tem problemas com a comida, um regresso a estes padrões significa um regresso eventual aos excessos alimentares ou o recurso ao vômito.
·      Para um jogador compulsivo, um regresso a estes padrões significa um eventual regresso ao jogo compulsivo.

            Observe mais atentamente esta segunda definição. Repare que, em primeiro lugar, a pessoa volta aos velhos padrões de pensar e sentir - às velhas atitudes e comportamentos - e depois retorna a adicção ativa.

A maior parte das pessoas em recuperação está pronta a admitir que volta por vezes aos antigos padrões de comportamento ou às velhas formas de pensar. Chama-se, com frequência, a isto pensamento negativo. A menos que esta situação se altere, ela conduzirá geralmente ao uso. As pessoas que estão a realizar um bom programa de recuperação rapidamente se tornam conscientes de que descarrilharam em direção a esses velhos padrões, e sabem o que têm de fazer para regressar ao bom caminho.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

O comportamento compulsivo na recaída


O papel do comportamento compulsivo na recaída

Comportamentos compulsivos são ações que produzem uma excitação intensa ou alivio e são seguidos por dor ou desconforto em longo prazo. Estes comportamentos podem ser internos (pensar, imaginar, sentir), ou externos (trabalhar, jogar, falar, etc.). Fazem-te sentir bem no momento, mas com o tempo te enfraquecem.

Muitos dos adictos que estão em recuperação de drogas/álcool se utilizam de comportamentos compulsivos como substitutos. Muitos desenvolvem um comportamento tão rigoroso que com o tempo pode interferir com a manutenção da sua recuperação.

Esta equação da adicção nos mostra claramente que:

DOR  +  DROGAS/ÁLCOOL = ALIVIO IMEDIATO  +  DOR FUTURA

Nos comportamentos é a mesma equação a não ser pelo fato de substituir as drogas pelo comportamento compulsivo

Principais comportamentos compulsivos

1.    Comer/fazer dieta: necessidade de comer compulsivamente quando nervoso, ansioso, tenso, etc. ou dietas compulsivas aliadas à obsessão por emagrecer, e a combinação  de comer compulsivamente seguidos por dietas ou vômitos (bulimia);
2.    Jogar: necessidade compulsiva de arriscar;
3.    Trabalhar/realizar: necessidade compulsiva de se manter ocupado, realizar coisas ou se exceder em tudo o que faz;
4.    Exercícios: necessidade compulsiva de estimular o corpo através de esforço físico;
5.    Sexo: necessidade compulsiva de ter experiências sexuais sem se satisfazer;
6.    Busca de emoções: necessidade compulsiva de experimentar grandes emoções ou intenso stress;
7.    Fuga: necessidade compulsiva de evitar as rotinas do dia a dia;
8.    Gastar: necessidade compulsiva de comprar/adquirir posses;

Saídas positivas para comportamentos compulsivos

Não é o que você faz que importe e sim como você faz. O comportamento compulsivo pode ser produtivo se for usado de uma maneira equilibrada não causando dor futura ou disfunção. Cada comportamento compulsivo utilizado seria como usar o químico, pois o objetivo é o mesmo: mudar o humor, desviar a mente e fugir da realidade, ele é usado para enfrentar a dor da realidade.
 Mas cada um destes oito tipos básicos tem comportamentos paralelos que são uma saída positiva realçando a realidade e ajudando a pessoa a lidar com a realidade com maior eficiência, ou seja, com equilíbrio e disciplina. Deve-se identificar e praticar um número de saídas positivas que dão prazer livre de dor. Principalmente no que diz respeito à ociosidade, manter-se ocupado com qualquer coisa que te interesse e te faça sentir-se útil para si e para os outros.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Recuperação parcial


Recuperação parcial

        Recuperação não é um processo de crescimento em linha reta. Grandes partes das pessoas se recuperam em estágios oscilantes, desenvolvem um novo entendimento de sua doença e recuperação. Gastam tempo aplicando e integrando este novo conhecimento em suas vidas diárias se tornam confortáveis por algum tempo antes de desenvolverem a necessidade de novo conhecimento.

     As recaídas muitas vezes ocorrem quando não estão tentando colocar o novo conhecimento para funcionar. O stress da mudança os pega e então param. Quando o stress diminui eles falam sobre como melhorar a situação, arregaçam as mangas e começam novamente. Esta recuperação parcial começa quando eles confrontam uma tarefa que acham ser incontrolável ou intransponível. Esta tarefa é chamada de “ponto de estrangulamento”. Ela pode ocorrer em qualquer ponto da recuperação, o mais comum é entre os períodos de evolução do tratamento descritos anteriormente.
       Uma resposta saudável e produtiva é atrasar um pouco a caminhada e examinar cuidadosamente o ponto de estrangulamento com outras pessoas e procurar ajuda para superá-lo. A recuperação parcial começa quando o ponto de estrangulamento é negado e isso produz aumento do stress e em um esforço para lidar com o stress as compulsões substitutas começam a ser usado, comer demais, trabalhar demais, gastar demais e etc. Eles trazem alívio na hora, mas no final aumentam o stress.
    
 O processo de recaída é ativado e eles começam a perder o controle. Se estiver consciente ele reativa o programa de recuperação até o mesmo ponto de estrangulamento ser alcançado novamente e o ciclo recomeça outra vez. Muitos podem ficar presos numa estrutura de recuperação parcial acreditando ser isso recuperação.
    
 O objetivo deste trabalho é ajudar a reconhecer os pontos de estrangulamento, pois os sinais de aviso estão presentes, superá-los e passar além deles até o final do ciclo de uma recuperação total, ou seja, a manutenção.



quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013


PPR - AS CRENÇAS ERRADAS

4 - As Crenças erradas na eficiência do tratamento:

.      Muitos dos que estão se recuperando fazem um esforço muito grande para isso. Procuram Terapia de Grupo e aconselhamento, assistem regularmente algum grupo de ajuda mútua mesmo assim falham na recuperação. Estas pessoas normalmente desenvolvem uma ou mais crenças erradas e que são igualmente destrutivas.

.      A primeira é a de que nenhuma forma de tratamento ou grupo  de ajuda pode funcionar. E não é verdade, existem muitos casos de pacientes com tendências a Recaídas que se recuperam ao aplicar em si o programa de recuperação que não funcionou antes. Talvez a alguma restrição à forma como o tratamento foi aplicado ou aos terapeutas que o aplicaram impedem que o tratamento seja aplicado como se deve.

.      Muitos recaem várias vezes dentro de uma mesma metodologia exatamente por isso e fica a pergunta: "Esse Programa realmente funciona ou é a forma que estou recebendo?" As vezes é melhor procurar outro lugar que aplique o mesmo programa ou tenha algo mais, por exemplo a maneira como é  aplicado.
        Outra crença igualmente destrutiva é o oposto, me que o tratamento em um grupo mais o aconselhamento profissional é 100% efetivo para qualquer um que queira se recuperar e que a principal causa das Recaídas é  a decisão de se desligar do tratamento. Com esta crença quando falham no tratamento, elas assumem que tem algo errado com elas.

 .      Existem bons tratamentos e maus tratamentos, existem tratamentos que funcionam para alguns e para outros não. E ainda existem muitos que são desconhecidos. Alguns recaem porque não desenvolvem habilidade para continuarem sóbrias. As chances são boas  se encontrar um programa que use  um Plano de Prevenção à Recaídas e que possa conseguir uma sobriedade mais duradoura.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

PPR - AS CRENÇAS ERRADAS


PPR - AS CRENÇAS ERRADAS

3 - As Crenças erradas sobre o significado e o papel da motivação da recuperação:

 .      Por causa das crenças erradas mostradas antes muitas pessoas em Recuperação desenvolvem os seguintes mal entendidos:
1. Se eu recair não estou motivado para me recuperar;
2. Eu vou me recuperar quando me magoar bastante por causa do uso do químico;
3. Se eu recaio é porque na o sofri o bastante para querer continuar sóbrio.
E as pessoas com tendência à Recaídas creem que tem que sofrer mais para não recair.

Isso é horrível para as pessoas que lutam para não entrar em processo de Recaída, destrói o autovalor e a autoestima e conduz a culpa e a vergonha. É um fato que muitos adictos recaem porque não acreditam que são dependentes, e não aceitam porque não tiveram ainda consequências duras o bastante para se convencer.

 .      Esta estrutura de Recaída só se aplica no período de pré-tratamento da recuperação. Ela não se aplica a pessoas com tendência a Recaídas, mas que sabem que são adictos e não podem usar com segurança. A dor nessas pessoas é vão forte que não permite que eles funcionem sóbrios, ela realmente lhes tira os benefícios de seu programa de recuperação. A dor não evita a recaída, mas pode com certeza aumentar os riscos.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

PPR - As Crenças Erradas


PPR - As Crenças Erradas

2 - As Crenças erradas sobre a presença e a natureza dos sinais de aviso:

Um pensamento comum é o de que a recaída acontece subitamente sem sinais de aviso. Essa crença leva a um sentimento de desesperança e de impotência. A recaída continua sendo um processo misterioso sobre o qual as pessoas em Recuperação têm pouco ou nenhum controle, e a única coisa que podem fazer é esperar e rezar para que não tenham uma recaída.

Na verdade existem muitos sinais de aviso que vem antes da recaída. Uma vez que se reconheça administre estes sinais de aviso iniciais podemos interromper o processo antes que comece. Se o adicto estiver preso na crença inicial de que a recaída é o uso só irá reconhecer alguns dos sinais de aviso. Ou seja, vão identificar apenas os sinais de aviso relacionados a usar.

Estes sinais são:
A. pensar em usar
B. desenvolver uma compulsão para usar
C. se colocar em situações em que os outros estão usando
D. parar de frequentar grupos de auto ajuda e atividades da recuperação

Estar pessoas creem que sabem quando chegam os sinais de aviso, e se limitam a tudo relacionado ao uso, hábitos e lugares de ativa, claro que fazem parte mas e muito mais. Não conseguem perceber que a negação contínua na sobriedade pode bloquear o reconhecimento destes sinais de aviso.

O ponto final neste raciocínio leva ao pensamento e crença errada. “Desde que não estou pensando em usar e vou às reuniões tudo vai estar bem”. O problema com esses sinais de aviso é sério, pois eles chegam muito, mais tarde no processo de recaída. E quando isso acontece eles perderam o controle do comportamento e do julgamento. Por este motivo eles são incapazes de reconhecer ou fazer algo para interromper esses sinais.

domingo, 10 de fevereiro de 2013

PPR - CRENÇAS ERRADAS


PPR - CRENÇAS ERRADAS
(adaptado de Terence Gorski)

1 - As crenças erradas sobre o papel do químico na Recuperação e na Recaída:

As pessoas que tem certa tendência à Recaídas creem que Recuperação é estar em Abstinência do uso químico e que Recaída é quando voltam a usar. Isto os leva a acreditar que enquanto se mantiverem limpos e em Abstinência estarão em Recuperação e se voltarem a usar Recaíram. Como resultado acreditam que ficarem sem usar é o objetivo principal da recuperação.

A abstinência é apenas um pré-requisito para a verdadeira recuperação que envolve realizar uma série de tarefas (ter post MRE) diariamente que vão permitir lidar com a síndrome de abstinência aguda (dura até 20 dias) e demorada (pode durar até 10 anos) além dos danos biopsicossociais causados pela adicção. Recuperação é  muito mais do que parar de usar, é aprender como viver confortavelmente e expressivamente sem o Químico.

Quando os sintomas do uso são interrompidos pela abstinência, são substituídos pelos sintomas baseados sobriedade que podem ser tão severos que te levam a perder o controle do julgamento e do comportamento mesmo estando sóbrio. Muitos dos que tem uma recaída dizem que se sentem tão perdidos na Recuperação que a volta ao uso parece uma ação positiva.

A dor que sentem é tão grande que creem sobrarem apenas três escolhas: medicar a dor usando, suicídio ou insanidade. Pelas opções a da volta ao uso parece ser a melhor escolha.

Sintomas baseados na sobriedade: incluindo os sintomas da abstinência aguda e demorada, incapacidade de lidar conta vida sem usar da crise criada pelos danos biopsicossociais da adicção

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Recuperação e Recaídas - as crenças


Crenças erradas sobre Recuperação e Recaídas -

O que são crenças? São as coisas que acreditamos como sendo verdadeiras. Quando falarmos nas Sete Etapas da Transformação (adaptado de Glória Karpinski) que eu uso para avaliar em que ponto do tratamento o paciente está, na primeira etapa - a Forma - vamos falar mais sobre o assunto, pois são muitas as crenças que temos que mudar.

Na Prevenção à Recaídas o primeiro passo é entender como a Recaída funciona. Quanto mais entender sobre ela menor será o risco de senti-la na pele. Não podemos nos proteger de algo que não sabemos nada a respeito. Muitas pessoas têm crenças erradas sobre o assunto e agem como se fossem verdadeiras

O problema com as crenças erradas é que elas evitam que o problema real seja resolvido e sanado, o que é necessário para interromper o ciclo da recaída. Mais adiante, em outra postagem vou procurar mostrar os pontos de estrangulamento em cada uma das seis fases do MRE (modelo de recuperação revolucionário) que já postamos em janeiro.
É muito importante entender como funcionam esses pontos, pois estão relacionados ao que chamamos de Recuperação Parcial, que é quando ela não é completa.

Este é um dos fatores que levam à recaída se você não houver entendido e aprendido a aplicar. Os comportamentos inadequados conduzem a um ciclo de recaída e assim as falsas crenças se tornam reais verdadeiras. As crenças erradas que estacionam a recuperação dos que tem tendência à recaídas são  divididas em quatro itens que são:
1. As crenças erradas sobre qual é o papel que o químico e os comportamentos obsessivo-compulsivo cumprem.
2. As crenças erradas sobre a presença e a natureza dos sinais de aviso da recaída.
3. As crenças erradas sobre o significado e o papel da motivação na recuperação
4. As crenças erradas sobre a eficiência do tratamento